«

»

abr 07

Que corrida!

Todo trabalhador sabe que, nos seus dias de folga, você faz de tudo para ficar longe de tudo que remete ao seu trabalho. Comigo não é diferente. Escrevendo sobre Fórmula 1 todos os dias, quando não estou trabalhando, procuro ficar um pouco longe dos assuntos relacionados a categoria. Até nas rodas de amigos eu evito comentar o assunto.

Disputa entre as Mercedes foi épica

Disputa entre as Mercedes foi épica

Quando a minha folga coincide com um domingo de corrida, eu acabo não ficando totalmente afastado da F1. Costumo dar uma olhada no que está se passando no GP, até para me manter informado sobre o que se passou na corrida e ter conhecimento sobre o que estou falando – no caso escrevendo – durante a semana.

Ontem, foi um dia totalmente atípico do que eu disse antes. Planejava fazer o mesmo de sempre: ligar a TV para ver a corrida e fazer outras coisas ao mesmo tempo. Mas quem disse que consegui? Do momento em que apertei o “power” no controle remoto até o o início da noite, não consegui me desligar da Fórmula 1. Não por menos, o GP do Bahrein foi um dos melhores – senão o melhor – que já assisti nos últimos anos.

Para ser honesto, não me lembro de uma corrida em que as equipes não interferiram na disputa entre os seus pilotos, mesmo restando poucas voltas para o final. Em Sakhir, além dos pilotos, quem deu um show de esportividade foram os chefes das escuderias, que em nenhum momento pediram para que seus comandados tirassem o pé para não “estragar” a corrida do time.

Foi simplesmente incrível ver Felipe Massa brigando com Valtteri Bottas, Daniel Ricciardo com Sebastian Vettel, Sergio Pérez com Nico Hulkenberg, Fernando Alonso com Kimi Raikkonen e, o mais importante, Lewis Hamilton e Nico Rosberg disputando a liderança da prova. Mais legal ainda foi ver que todas estas disputas foram totalmente limpas.

Apesar de o mais importante ter sido a disputa entre companheiros de equipe, também há de se destacar a briga entre todos os pilotos que terminaram a prova no top 10, por exemplo, a de Massa contra os dois carros da Force India, de Ricciardo contra Hulkenberg, do próprio Massa com Vettel, etc. Definitivamente, foi uma prova para não sair da cabeça dos amantes da Fórmula 1 nunca mais.

Também não  podemos esquecer do acidente cinematográfico provocado por Pastor Maldonado, que fez Esteban Gutiérrez capotar. Convenhamos, a punição aplicada ao venezuelano ficou “baratíssimo” para ele. Um stop and go na corrida e a perda de cinco posições no grid do GP da China está muito longe do que o ‘louco’ da Lotus merecia.

E o que falar da épica batalha entre os carros da Mercedes? Rosberg largou na frente, mas viu Hamilton assumir a ponta logo na largada. Depois, o alemão até chegou a andar na frente de Lewis por algumas voltas, até perder a posição mais uma vez. A cereja do bolo, sem dúvidas, veio após o safety car. Com o “rádio no mudo” os dois travaram um duelo emocionante, com direito a vários X por parte de Hamilton.

No fim, quem ganhou não foi Lewis Hamilton e sim o público presente nas arquibancadas de Sakhir e os telespectadores de todo o mundo, que não viam uma prova tão emocionante há muitos anos.

Fica aqui os parabéns para os pilotos, que proporcionaram uma emoção intensa desde o momento em que as luzes vermelhas se apagaram e os carros partiram, mas principalmente para Toto Wolff (Mercedes), Christian Horner (Red Bull), Pat Symonds e Rob Smedley (Williams), Vijay Mallya (Force India) e Stefano Domenicali (Ferrari), que nas voltas finais ficaram totalmente calados e não interferiram na disputa entre seus pilotos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>